Bertold Brecht

 

               "Embora seja mais conhecido no Brasil como um dos maiores dramaturgos contemporâneos, Bertolt Brecht também foi um grande poeta. Tomadas em conjunto, suas peças teatrais e poesias constituem um comentário e uma resposta radicais à sua época. Sua obra é penetrada pelos acontecimentos, como nenhuma outra em nosso tempo. Foi o poeta-cronista de uma época de convulsões e guerras mundiais. Mas foi também um poeta que cantou as coisas simples e boas da vida."

            A seguir temos alguns poemas retirados do livro Bertold Brecht: Poemas 1913-1956.

 

A Infanticida Marrie Farrar

A Cruz de Giz

A Despedida

A Esperança do Mundo

A Inscrição Invencível

A Lista de Necessidades

Apague as Pegadas

A Queima de Livros

Ablução

Aos que Hesitam

Aos que Vão Nascer

Canção de Fundação do National Deposit Bank

Conselho aos Artistas Plásticos

De que Serve a Bondade

Dificuldade de Governar

Elogio do Esquecimento

Em Tempos Negros

Epitáfio para Gorki

Esse Desemprego

Exclusivamente por Causa da Desordem Crescente

Expulso por bom motivo

Hino a Deus

Lista de Preferências de Orge 

Mas quem é o partido

Mau Tempo Para a Juventude

Mau Tempo Para a Poesia

Na Guerra Muitas Coisas Crescerão

Na Morte de um Combatente da Paz

Necessidade da Propaganda

No Nascimento de um Filho

Notícia da Alemanha

Notícia Sobre um Náufrago

Chanceler Abstêmio 

O Dinheiro

Ó Falladah, aí Estás Pendurado!

O Führer lhes dirá

O Governo como Artista

O Grande Outubro

O Parto da Grande Babel

O Pintor Diz

O que Corrompe

O que o Führer não sabe

O Vizinho

Os Medos do Regime

Os Tecelões de Kujan-Bulak homenageiam Lênin

Os trabalhadores de Moscou tomam posse do Grande metrô EM 27 DE ABRIL DE 1935

Parada do Velho Novo

Pensamentos sobre a duração do exílio

Perguntas de um trabalhador que lê

Proibição da cítica teatral

Quando um crime acontece como a chuva que cai

Quem se Defende

Sobre a Esterilidade

Sobre a Violência

Trezentos cules assassinados depõem a uma internacional